"Gente foi feita para ser feliz ! "
 
line decor
 
line decor
   
Felicidade

A idéia em que se baseiam os trabalhos propostos neste website, tanto na Psicologia, quanto no Desenvolvimento de Talentos Organizacionais, é a de que: “Gente foi feita para ser feliz!

Esta é uma premissa básica que pode gerar certa inquietação e questionamentos. Creio que isto possa acontecer devido a dois aspectos:
Felicidade ser confundida com alegria e, caber a pergunta: Felicidade é uma questão de opção?

Vamos primeiro lidar com a confusão entre felicidade e alegria. Afirmo que é possível se estar feliz, mesmo que não se esteja em uma situação alegre. São compatíveis a coexistência de tristeza e dor com a felicidade. Por exemplo, uma pessoa pode estar muito triste por causa de um contexto qualquer e, ao mesmo tempo, muito feliz, pois apesar da dor inevitável do momento, foi coerente com seus valores e agiu com integridade, fez o que tinha que ser feito, aprendeu e cresceu com a situação, fez conquistas preciosas...

Isto se dá pelo fato de que felicidade tem a ver com sucesso, construções, boa ventura, caminhos de manifestação de quem se é, expressão de si. Alegria por sua vez tem a ver com divertimento, prazer, contentamento. Fica se alegre necessariamente porque se está feliz (Obteve-se sucesso, construções, caminhou no sentido que se desejava.).  Fica-se feliz não necessariamente por se estar alegre, fica-se inclusive feliz apesar da tristeza e da dor, se fizermos o que tem que ser feito, ou seja, sermos íntegros (Alinhamento do que se pensa, do que se sente e do que se faz).

Como pode-se notar, felicidade é uma construção baseada em integridade. Vamos pensar na natureza desta construção. Felicidade é como saúde e lucro, acontece por vias indiretas. Não é possível dizer: Vou sentir felicidade, ou vou adquirir saúde na farmácia, ou mesmo, vou pegar o meu lucro no mercado. Felicidade, saúde e lucro são resultados finais de uma série de ações.

Por exemplo, quando se quer saúde como resultado, sabemos o que é ser saudável e então fazemos uma série de ações que nos levem a ela. Dormimos bem, nos alimentamos equilibradamente, evitamos estresse, cuidamos das emoções... Todas estas ações são baseadas em conceitos e valores, ou seja, durmo bem, pois é sabido e valorizado que o descanso melhora a imunidade, a disposição e o humor. Sendo assim, o caminho é: Valorizamos a saúde, sabemos quais ações são sustentadas por valores para tê-la e assim trilhamos os caminhos que nos levam a ela.

Sabemos o que é saúde e lucro, sabemos então que ações são valorosas para nos levar a isto. E no caso da felicidade?

O que é felicidade para você? Esta é uma pergunta fundamental, pois se não se sabe para onde se vai, que caminho tomar?

Esta é sem dúvida uma questão absolutamente pessoal e subjetiva. Cada um de nós terá os seus próprios critérios de felicidade. Creio que caiba no entanto, trazer aqui algumas considerações de Epicuro, filósofo grego, nascido em 341 AC, que se dedicou a pensar no que faz os homens felizes.

Ele apontou 4 aspectos que auxiliam o homem na busca de felicidade.

- Vida Simples
A Felicidade não é diretamente proporcional à quantidade de posses que se tem. Uma vida simples que supram nossas necessidades básicas já é o suficiente para sustentar nossa felicidade. Não precisamos comer banquetes divinos para sermos felizes, temos sim é que nos alimentarmos saudavelmente. Dinheiro contribui com felicidade até o ponto em que paramos de sofrer com privações de aspectos básicos. A partir daí a felicidade se estabiliza e para se ter mais felicidade são necessárias outras coisas além de posses. Ficar fixado em ter mais posses pode inclusive levar a infelicidades. Existem pesquisas com ganhadores de prêmios de loterias que apontam que em um primeiro momento o ganhador tem um pico de felicidade, depois, se ele não era anteriormente feliz, a forte tendência é a de que ele volte ao mesmo estado de infelicidade anterior.

- Amizades
Traduzo amizades por relacionamentos. Somos seres que só nos constituímos através do contato com as pessoas. Só podemos existir quando alguém acompanha a nossa existência, o que só passa e ter significado quando alguém consegue entendê-la. Viver cercado de amigos é ter constantemente nossa identidade confirmada, o fato deles nos conhecerem bem e se preocuparem conosco nos tira de nossa indolência.

- Liberdade
Ser criador e não criatura. Estar no mundo, mas não ser do mundo. Ter liberdade de criar as condições que nos permitam ser da forma mais autêntica possível. Felicidade tem a ver com expressão de quem se é, e para isto é necessário conquistar liberdade.

- Reflexão
A vida não tem sentido em si. Somos nós que construímos este sentido. Viver é um grande desafio, pois nos deparamos com questões profundas: Quem somos nós? De onde viemos e para onde vamos? O que é a vida e o que a morte representa? Nossa condição humana nos força a lidar com a impermanência das coisas, com os nossos afetos e instintos, com as leis morais e sociais e etc. Viver é escolher, e a reflexão nos alivia a angústia, e nos permite melhores escolhas.

Com este enfoque sobre a felicidade entendo que ela não seja uma questão de sorte, como por vezes a alegria o é, mas sim de construções, e como escolhemos o que construir de acordo com nossa visão de mundo, ela é uma questão de opção!

Concordo que esta construção não seja propriamente fácil e que por vezes precisamos de muita coragem, informação e disposição, que nem sempre estão à nossa mão, o que acarretaria infelicidade, porém, há sempre caminhos de evolução. Fico tranqüilo com esta afirmação, pois identifico a existência de um lei que nos rege, onde tudo tende a evolução

Com esta visão evolucionista, uma vida feliz tem a ver com uma existência conduzida por propósitos, e sustentada por valores. Fazer o que eu tenho que fazer no limite máximo de quem eu sou.

Por isto afirmo, gente é para ser feliz, e não, gente é para ser alegre. A Alegria será conseqüência de um trabalho feliz de construções de quem nós seremos, partindo de quem nó somos.

Seja feliz!