"Só o que somos tem o poder de nos curar ." Jung
 
line decor
 
line decor
   
A Psicoterapia

O maior desafio que temos em nossas vidas talvez seja o desafio de sustentarmos nossa própria existência, tão cheia de riscos e dilemas existenciais. Existir não é fácil!

Em nossas vidas somos fortemente confrontados com questões ligadas ao envelhecimento, à morte, à impermanência de todas as coisas, ao re-ligar ou não com o sagrado, à liberdade, ao amor, à dor, ao sucesso e poder, ao certo e ao errado... Enfim, temos que lidar com tudo isto para dar sentido à nossa existência.

Maior do que este desafio de sobreviver em um mundo tão repleto de questões existenciais, creio que só exista o desafio de, além de viver, viver feliz.

A meu ver, a felicidade não é uma questão de sorte, mas sim de tomadas de decisões, de fazer opções ajustadas com quem nós somos. Dentro deste ambiente existencial, a todo instante estamos realizando opções, sejam estas conscientes ou não, e estas opções nos constroem como pessoas. Somos em última instância o resultado de nossas opções.

Quanto mais alinhamos nossos pensamentos, sentimentos e ações, mais nossas opções nos aproximam de quem nós somos em essência, mais nos sentimos plenos, harmoniosos e felizes. Quem nós somos clama por expressão, por manifestação. Somos uma fonte criativa que precisa de caminhos para sua auto-realização. A imagem que se pode criar aqui, é a de um rio fluindo livre, sem obstáculos em direção ao encontro com o mar.

Porém nesta vida repleta de riscos e dilemas frequentemente nos deparamos com obstáculos que requerem nossa atenção e dedicação. Nem sempre é fácil lidar com eles e aí nos vemos não mais como um rio fluindo livremente para o mar, mas sim como um rio com árvores caídas em nosso leito, desvios em nosso curso por ações de terceiros, pedras que danificam nossas margens, poluição...

O rio com obstáculos tem problemas como alagamentos, suas margens são alteradas pelas pedras no caminho, isto pode gerar erosão ao seu redor, ele leva consigo sujeira devido à sua poluição... Em nós, os problemas ligados aos obstáculos em nossas vidas são dores físicas e morais, angústia, medos exacerbados, obsessões, depressão, infelicidade, que podem inclusive se materializar em doenças físicas.

Fazendo ainda mais uma comparação com o rio, o trabalho da Psicologia não é o de ensinar o rio a ser rio, ou seja, nenhuma pessoa precisa ser ensinada a ser pessoa. O trabalho da psicologia é auxiliar a pessoa a entender melhor seus “obstáculos”, dilemas, desconfortos e, então, buscar as melhores opções que a façam feliz, pois ela estará assim, agindo de forma íntegra, plena, harmoniosa.

A psicologia reconhece o homem como um sujeito em eterna construção de si mesmo buscando felicidade. Isto não é doença, não é loucura, é desenvolvimento de si. E ela reconhece também que é dentro do homem que se encontram as forças para a sua auto-construção e realização, baseadas na análise do seu existir.

Saúde plena é fazer este existir fluir livre, harmonioso e feliz, rumo ao mar, ao sublime.