"Mude, mas comece devegar, porque é mais importante a direção do que a velocidade." Edson Marques
 
line decor
 
line decor
   
Motivação... (Motivo para ação)

Motivação pode ser traduzida poeticamente como brilho nos olhos. Como é bom se relacionar com pessoas com brilho nos olhos! É um prazer ver a vida em movimento nestas pessoas. Sente-se nelas uma força extraordinária que as movem ao mesmo tempo que as alimentam

Imagino que todos nós queremos pessoas com brilho nos olhos ao nosso redor, sejam elas quem for. Mas como conseguir isto nos outros e em nós?

Como a experiência nos mostra, ninguém motiva ninguém. Não se coloca brilho nos olhos de ninguém, mas pode se gerar as condições externas onde as pessoas conquistem este brilho, esta motivação. Este é o grande desafio de líderes empreendedores: Criar as condições que gerem motivação.

Desmembrando a palavra motivação encontra-se um caminho muito interessante de se pensar este tema: MOTIVO - AÇÃO. O que se pode perceber com este desmembramento da palavra é que uma pessoa com motivação é uma pessoa com um motivo para a ação.

E quais seriam estes motivos para ação de uma pessoa? Em linhas gerais estes podem ser divididos em: Fisiológicos (Corpo); Intelectuais (Mente) e Emocionais (Alma), e eles funcionam para nós como um tripé, são necessários cada um destes três pontos de apoio para estarmos bem sustentados (Motivados) na vida.

Dois dos principais pensadores sobre motivação (Maslow e Herzberg) nos apresentaram pontos de vista muito interessantes sobre este tema. Citarei alguns destes visando enriquecer as questões aqui colocadas.

Herzberg aponta que tradicionalmente as organizações se utilizam dos fatores que ele chama de higiênicos para se obter motivação dos seus colaboradores. Estes fatores higiênicos são: O salário e benefícios, as condições físicas e ambientais de trabalho, os regulamentos internos, as oportunidades existentes e etc. Contudo, os fatores higiênicos são muito limitados em sua capacidade de influenciar poderosamente o comportamento dos colaboradores.  A expressão "higiene" serve exatamente para refletir seu caráter preventivo e profilático e para mostrar que se destinam simplesmente a evitar fontes de insatisfação do meio ambiente ou ameaças potenciais ao seu equilíbrioQuando esses fatores higiênicos são ótimos, simplesmente evitam a insatisfação, uma vez que sua influência sobre o comportamento não consegue elevar substancial e duradouramente a satisfação.  Porém, quando são precários, provocam insatisfação.  Por isso, são chamados fatores insatisfacientes.

Imagine a cena:
Pagar um ótimo salário para alguém ficar em uma sala muito confortável para ficar fazendo absolutamente nada.
Resultado:
É óbvio que isto não gera a mínima motivação. É bom que nos benefícios oferecidos por esta empresa tenha um ótimo plano de saúde, pois com boa dose de certeza esta pessoa adoecerá de tédio.

Existem líderes que reclamam que dão tudo a seus “funcionários” e eles são ingratos e desmotivados. São os mesmos líderes que reclamam e se perguntam: “Por que é que sempre que eu peço duas mãos tem que vir sempre um cérebro junto?”

Os fatores motivacionais envolvem sentimentos de realização, de crescimento, e de reconhecimento profissional, manifestados por meio de exercícios nas tarefas e atividades que oferecem suficiente desafio e significado para o trabalho.  Quando os fatores motivacionais são ótimos, elevam substancialmente a satisfação.

Maslow aponta ainda certa hierarquia nas necessidades humanas e as distribui dentro de um formato piramidal, onde as necessidades fisiológicas (Corpo) são a base, passando por questão intelectuais (Mente) e culminando com questões emocionais (Alma).
Observação: Os termos corpo/mente/alma são caracterizações efetuadas por mim para ilustração do tema.

Sob estes pontos de vista, qual seria então a resposta para a questão colocada acima: Quais são os motivos para ação de uma pessoa?

A resposta precisa de uma introdução para ser efetuada com profundidade. Primeiro, antes de cuidar dos motivos, há que se ter o cuidado de liberar a pessoa para a ação. Para evitar a insatisfação que prende é necessários se tratar do “Corpo”, que é o que dá estrutura para a pessoa, ou seja, cuidar dos fatores higiênicos em primeiro plano. (Salário, benefícios, local de trabalho adequado e etc.). Isto é importante, mas não o suficiente.

Os motivos para ação estão na “Mente” e na “Alma” das pessoas. O que realmente motiva, uma vez tendo os fatores básicos da existência supridos, é o desafio, o sentido para o trabalho e para a vida em grupo, o que promove crescimento no ser humano, o que gera reconhecimento pelo que se constrói.

A Mente idealiza o caminho a ser seguido, a direção que leva à realização.
O Corpo tem as condições de levar esta Mente para “passear”.
E a Alma dá a energia necessária através das emoções para esta travessia.

Em minha opinião, os motivos para a ação (Motivação), o brilho nos olhos, estão nas capacidades de:
- Sonhar o futuro que queremos;
- Sentir as emoções provenientes deste desafio e;
- Criar as condições para a realização destes sonhos.

Uma organização com uma missão (Sonho) a cumprir que seja entusiasmante para todos, que se estruture para o cumprimento desta missão, e que não tenha medo de lidar com afetos, afinal lida com pessoas, terá tanto brilho nos olhares que será confundida com uma estrela.